top of page
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_01.jpg
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_05.jpg
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_03.jpg
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_08.jpg
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_07.jpg
SeloTurvo_Estudo-Sobre-Fantasmas-Escondidos-Nas-Arvores-do-Seu-Quintal_Alix-Breda_02.jpg

Estudo sobre os fantasmas escondidos nas árvores do seu quintal

Alix Breda

(ST04)

64 páginas

15x21cm

100 cópias

Digital

Brochura

ISBN  978-65-00-46447-4

2021

CONCEPÇÃO  Alix Breda

SEQUENCIAMENTO  Alix Breda

DESIGN  João Pedro Lima

TEXTO Alix Breda

IMPRESSÃO  Cinelândia

PUBLICAÇÃO  Selo Turvo

 

PRESS

No Programa de Hoje [podcast]

 

DISPONIBILIDADE PÚBLICA

PUBLIC AVAILABILITY

Instituto Moreira Salles [São Paulo, SP, Brasil]

[PT-BR]

Baseado na textura e na tinta que permanece no dedo. As assombrações que tomam forma na umidade do papel fotográfico alterado pelo tempo e pelos mortos. Sua memória é reinventada pelo desbotamento da imagem, devaneio de quimeras, rostos dobrados, cães latindo sem ruído. A maneira de conhecer e apropriar as narrativas familiares que já estão longe demais para serem vividas.

 

Lido como um diário, fragmentos, da rotina afetada pela memória. A mancha viva dessa umidade, organismo que cria novas mitologias. ​

 

A proposta sempre foi criar um ato de resgate com esse material, um cartão postal de vidas passadas. Um convite para abrir a porta para elementos que talvez não habitem mais aquele ambiente. ​ Costurado a mão e queimado, cópia por cópia, a zine-ritual Estudo Sobre os Fantasmas Escondidos nas Árvores do seu Quintal parte das conexões humanas feitas pelo acidentalismo místico. Seu proceso manual, desde o desdobramento da zine até o ritual a ser feito pelo leitor - no escuro, alecrim e arruda queimando no canto -, do desejo que sempre foi de ficar perto e aceitar a presença do desconhecido. A experiência que sai do papel e se torna física, se torna pessoal.

[ENG]

Based on the texture and ink that remains on the finger. The hauntings that take shape in the humidity of photographic paper altered by time and the dead. His memory is reinvented by the fading of the image, reverie of chimeras, folded faces, dogs barking noiselessly. The way of knowing and appropriating family narratives that are already too far gone to be lived.

 

Read like a diary, fragments, of routine affected by memory. The living stain of this humidity, an organism that creates new mythologies.​

 

The proposal has always been to create an act of redemption with this material, a postcard from past lives. An invitation to open the door to elements that perhaps no longer inhabit that environment.​ Hand-stitched and burned, copy by copy, the zine-ritual Estudo Sobre os Fantasmas Escondidos nas Árvores do seu Quintal is based on the human connections made by mystical accidentalism. His manual process, from unfolding the zine to the ritual to be performed by the reader - in the dark, rosemary and rue burning in the corner -, from the desire that has always been to stay close and accept the presence of the unknown. The experience that comes out of paper and becomes physical, becomes personal.

bottom of page